Renato Lopes

O percurso profissional

Sempre interessado por fotografia, mas por outros caminhos, fui para a Administração de Empresas. Após três anos e frustrações, fui tentar algo novo e me deparei com a Iluminação Cênica. Cursos e trabalhos em fizeram chegar a fotografia. A fotografia me fez chegar ao vídeo. E no meio dessa jornada toda, conheci a dança.

No final, é tudo a mesma coisa. A luz e nosso domínio sobre ela, nossa mente e o dominio sobre o nosso corpo, sendo que no final, são eles que nos dominam.

A dança

Em 2004 conheci o que na época no Brasil, era denominado como Street Dances. Após alguns anos e com a chegada de informações mais conclusivas, descobri as Danças Urbanas e suas vertentes. Pratiquei até 2012/2013, onde parei para me dedicar mais aos estudos e ao trabalho. Após alguns anos, mas sempre trabalhando com danças no audiovisual e nos palcos com a Iluminação, resolvi retornar de forma diferente e lembrei de pesquisas sobre as origens e referências das danças urbanas em um dança chamada Charleston/Lindy Hop.
No início de 2015 comecei a praticar o que achava que seria impossível para mim, uma dança a dois. Mas  a partir do momento que entendi que era uma dança que falava de liberdade, improvisação e troca (fora a excelente música), percebi que foi a melhor coisa que fiz. Hoje sou mais feliz por isso. Vivo e respiro essa dança. Ela me deu liberdade para alcançar coisas que mal imaginava nesta vida.

Esse projeto

Em 2017, recebi o pedido de ajuda de Aline Cortes com as seguintes palavras “preciso de ajuda para fazer um site simples para colocar minha ideia em prática” e aqui estou. Mexendo com o que não sei, para aprender e fazer esse projeto incrível chegar cada vez mais a mais gente. Mas não só isso, posso colocar também nesse projeto minhas palavras, discussões e indagações sobre como o audiovisual e o Lindy Hop andam juntos e são cruciais para a propagação dessa cultura.