Por que as pessoas dançam? – Martynas Stonys

“Por que as pessoas deveriam dançar?”. Há mais ou menos oito anos questionamentos como esse não saíam da cabeça de Martynas Stonys. E, em 2011, quando apareceu a oportunidade de falar sobre Lindy Hop no TEDx – um dos principais canais de compartilhamento de ideias e experiências do mundo – em Vilnius, Lituânia, foi esse o tema abordado por ele e sua parceira de dança na época Egle Regelskis.

Martynas é um dançarino conhecido em diversos países, inclusive no Brasil. Desde 2009, é possível encontrar vídeos com suas performances na internet. A primeira vez que se viu dançando em um desses vídeos foi dois anos depois de ter se tornado professor de Lindy Hop. Achou horrível.

“Às vezes é bom, às vezes não, semelhante a quando nos vemos em fotografias. Mas, com o tempo, você acostuma a se ver dançando. Poder observar sua dança e perceber o quanto melhorou ao longo do tempo é muito importante”, afirma Martynas.

Mas há uma grande diferença entre se ver num vídeo de dança, situação familiar para um dançarino, e no palco, falando para dezenas ou centenas de pessoas. Em conversa com o Making Lindy Hop Videos, Martynas reconheceu que ficou envergonhado ao assistir ao vídeo do TEDx, mas aprendeu com a dança que o processo é esse: “É assim que aprendemos a nos aceitar como somos”, comenta.

 

O título da palestra feita no TEDx, em 2012, foi ‘A Couple Dance That Improves You’: a ideia principal foi mostrar como dançar em dupla, especialmente o Lindy Hop, pode melhorar a vida das pessoas em muitos aspectos. Segundo ele, a dança o ajudou a se soltar mais, driblar a timidez, interagir com as pessoas e ter mais confiança em si mesmo e nas situações da vida.

Assista ao vídeo na íntegra:

 

 

Refletindo sobre a palestra, Martynas se convenceu ainda mais de que muitas atividades podem ajudar as pessoas a serem melhores em diferentes aspectos da vida; mas que o Lindy Hop é uma atividade especial:

“É uma dança social. Nela, os parceiros têm de prestar atenção um no outro e se empenharem em proporcionar bons momentos para a dupla. Você tem de constantemente escolher, no improviso, o que fazer a seguir durante a dança, isso ajuda a preparar a pessoa para as situações imprevisíveis da própria vida.”

Martynas acredita que a experiência no TEDx foi importante para a cena local de Lindy Hop, despertou o interesse de algumas pessoas da plateia pela dança e acabou atraindo novos alunos. Ele brinca: “Eles devem ter pensado ‘pessoas legais, dança legal, quero fazer isso também’.” 

Martynas revê a comparação que fez durante a palestra entre Lindy Hop e sexo. Foi simplesmente a forma que encontrou de ilustrar o quanto dançar em dupla é satisfatória para ele. Dá para notar no vídeo que o público se divertiu com a brincadeira, mas, Martynas conta que, se o convite para realizar a palestra fosse feito hoje, ele não faria a comparação.

Martynas esteve no Brasil, em maio de 2018, como professor convidado do Sugarloaf Stomp, evento de Lindy Hop que acontece anualmente no Rio de Janeiro. Ele contou que foi uma experiência muito divertida e acolhedora e deixou um recado especial para os hoppers brasileiros: “Continuem dançando, swingando. Continuem misturando Lindy Hop com as danças locais como samba e forró. Go crazy!”

Você pode conferir mais vídeos de Martynas e outros dançarinos da Lituânia em seu canal pessoal no Youtube e no canal What a Jazz.

Revisão de texto: Karin Ribeiro de Faria

Deixe uma resposta