Gravar e compartilhar – Karine Hermes

Ela não mora mais aqui no Brasil. Mas quando fiquei sabendo que receberíamos sua visita, dei um jeitinho de encontrá-la pra bater um papo e saber sua opinião sobre a importância do audiovisual para a cena das danças Vintage.

Karine Hermes aprendeu Lindy Hop em São Paulo, mas desde 2015 participa de eventos, festivais e workshops em diversos lugares do mundo, principalmente em Los Angeles, onde dá aulas de dança e mora atualmente com o marido e dançarino Stephen Sayer.

Durante a conversa, passeamos por diversos assuntos, mas alguns deles acabaram se destacando, como a relação da produção de vídeos ao longo dos tempos.

“Eu acho que os vídeos antigos, de quando tudo começou, retomam para o público atual a essência e o estilo de determinadas danças, são um norte a se seguir. Você vai adaptar, vai desenvolver e evoluir, isso é natural e esperado em certo ponto. Mas é sempre bom resgatá-los.”

Viralizar a dança para quem é de fora da cena, inspirar quem já dança, compartilhar apresentações e competições: esses são alguns dos propósitos dos vídeos que foram sendo produzidos desde o revival do Lindy Hop.

Karine acompanha as publicações de amigos nas redes sociais: “Eu compartilho todos os vídeos que vêm do Brasil com alguma produção mais elaborada, fico muito orgulhosa e quero mostrar pra todo mundo lá fora que tem muito brasileiro dançando, que somos bons, que vale a pena ir pro Brasil.”

A dançarina destaca o aumento de publicações no Instagram: de quem cria canais para compartilhar vídeos mais curtos (como amigos treinando aéreos) e de vídeos com professores recapitulando as aulas – algo que não era comum quando ela começou a dançar.

O tema é controverso, já que alguns professores são contra a gravação de conteúdos de aulas e workshops. No vídeo abaixo, Karine fala sobre as gravações e compartilhamentos online de recaps. Segundo ela, os registros são positivos para alunos e professores, além de serem interessantes para a cena de Lindy Hop de um modo geral. E já virou rotina: os últimos cinco minutos das aulas em Los Angeles são aproveitados pelos alunos de Karine para registrarem o  que aprenderam.

Quer saber um pouco mais sobre Karine? Confira qual foi o primeiro vídeo de Lindy Hop que ela assistiu em ‘O primeiro vídeo e outras influências’. Conheça quais vídeos são marcantes para a dançarina em ‘Vídeos favoritos e assistidos atualmente’ . Na página “Me assistindo”, Karine conta sobre como se sente ao aparecer em vídeos no Youtube e qual apresentação é a sua preferida.

Deixe uma resposta