Aperte o Play

A gente tem uma ideia. E fica super animada com ela. Descobre que, para a vontade se tornar realidade, precisa de muito empenho e dedicação. E percebe que não é possível fazer sozinho. É um projeto que clama por muitas vozes, quanto mais, melhor.

A gente entra em contato com pessoas de todos os cantos do mundo. Se apresenta e explica a ideia.

E sabe o que é mais legal? Mesmo sem nunca terem ouvido falar sobre você, essas pessoas te acolhem e se disponibilizam a ajudar. Participam da melhor maneira que podem. E enchem seu coração de alegria.

A jornada começa agora, mas não tem nem data, nem local para acabar. E o desejo é esse mesmo. Que dure o quanto o Lindy Hop durar.

 

Rusty Frank – Sapateadora e Lindy Hopper. Organizadora do I Charleston L.A..

“É ótimo ter acesso a vídeos on-line de Lindy Hop. Quando eu comecei, tínhamos sorte se tivéssemos fitas de vídeo de três danças: Hellzapoppin’, Day At The Races, Groovie Movie.”

 

Renato Lopes – Hopper e videomaker especializado em dança.

“Se a gente está em um evento que é uma celebração, um momento de troca (…) você precisa captar isso e conseguir trazer para o vídeo. Meu maior prazer em filmar Lindy: eu acho que é uma das maiores formas de contribuição que eu tenho pra fazer a cena crescer.”

 

 

 

 

 

 

Mari Turco – Envolvida com o Lindy Hop até a alma, inclusive na organização de eventos e produções em vídeo.

“Acho que todo vídeo é bom para alguma coisa. Tem os vídeos de campeonatos, como os do ILHC, que são bons porque inspiram dançarinos a melhorar tecnicamente, por exemplo. Vídeos como do I Charleston World são bons porque trazem as pessoas pra perto.”

Jennifer Lee – Dançarina do vídeo vencedor do Festival de Filmes de Dança Jazz de 2013“One Girl and Two Boys”

“Eu tive inspiração do clipe de Jean Veloz ‘One Girl and Two Boys’. Está no YouTube. Eu amo esse clipe e queria ter aquela vibe e espírito lúdico. “

 

 

Alex Yan – Organizador do Festival de Filmes de Dança Jazz.

“Acho que bons vídeos de dança nos ajudam a entender melhor a música; a dança nos vídeos nos dá uma visão do que os dançarinos estão ouvindo e como eles estão interpretando a música”.

 

 

Suzana Ruiz – Dancer and Lindy Hopper. Ama solo jazz e já fez lindos vídeos de suas coreografias. 

“O vídeo (de coreografia) é uma coisa que você registra e guarda! Depois de muito tempo, pode assistir quantas vezes quiser. Diferente de vídeos de apresentação, onde você poderia estar inseguro, e algumas coisas não deram tão certo assim.”

 

Manu Smith – Produtor do ‘Swing Nation’, programa de vídeo sobre Lindy Hop

“Lindy Hop é uma dança visual. Então você precisa vê-la. (…) Swing Nation é um trabalho de amor. Você aprende muito quando faz muito. A prática leva à perfeição.”

 

 

Sing Yuen Lim – Idealizadora do projeto ‘Frankie Moves’

“Existem muitos vídeos por aí, ensinando e inspirando. Eu só tentei preencher uma pequena lacuna que eu senti que estava vazia, e quis capturar a memória de Frankie enquanto ainda temos dançarinos que trabalharam com ele.”

Deixe uma resposta